Domingo, 13 de julio de 2008



NOITE

todas as horas passaram:

o rosto molhado
pela noite em branco
no quarto

a procura
de mim mesmo
em mil corpos

e essa maldita criança
que me olha
dos teus olhos

o silêncio da cidade
sacudindo as ruas

a súplica caindo
sobre os portos

cega como
essa criança
essa estúpida criança
que me olha
dos teus olhos
 




Del libro PRIMEIRAS LETRAS, Funalfa 2007.



ENVIADO POR PORTAL DE POESÍA

Tags: Lacyr Anderson Freitas

Publicado por gala2 @ 3:48  | POEMAS
Comentarios (0)  | Enviar
Comentarios